Fundanga

Uma performance ritual em que o artista munido de pólvora e emitindo um grito gutural tenta liberar energias em repouso das ruínas da capela do Rosário em Santo Amaro/BA, um símbolo do colonialismo religioso na região do Recôncavo da Bahia devido a sua implantação entre os séculos XVI e XVII. Luz, fogo, som e fumaça compõem uma atmosfera em que o rito se transmuta numa energia de cura pessoal e das memórias apagadas pela colonização.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s