Refino #5 (Pés)

Em “Refino #5 (Pés)”, o artista retorna à pesquisa sobre imagens de viajantes europeus para o Brasil, a exemplo de Debret e Rugendas, analisando como essas imagens, na maioria das vezes, retratam pessoas negras escravizadas de forma dócil, bucólica e organizada. Especificamente nesta série, os pés são postos em evidência a partir da atualização de uma espécie de moldura feita de açúcar. Apesar de parecerem detalhes na imagem total da gravura, os pés de denotam a impossibilidade de serem calçados por pessoas escravizadas no período colonial do Brasil, logo, se refeririam a pessoas cuja cidadania e liberdade são negadas.